segunda-feira, junho 02, 2008

NÃO ACREDITEM EM MIM


Os que acompanham este blog sabem de minha predileção por alguns temas, como a corrupção dos petralhas, a ditadura disfarçada de Hugo Chávez na Venezuela, a ditadura escancarada de Fidel Castro em Cuba, as patetices dos esquerdóides, o Foro de São Paulo etc. Sei que são assuntos áridos. Também sei que nada que eu disser a respeito fará qualquer diferença: Lula não será enxotado do Palácio do Planalto, nem Chávez cairá, nem os petralhas irão para a cadeia, por nenhum artigo que eu tenha escrito ou que vier a escrever, ainda que venha recheado de argumentos irrefutáveis. Tenho plena consciência que muitos que lêem este blog saem com a impressão de que sou movido por simples fixação ou paranóia, ou pela mais pura obsessão.

Por isso, resolvi tomar uma decisão. Vou pedir a quem ler estas linhas que não acredite em mim. Não levem em consideração o que eu disser. Isso mesmo. Esqueçam tudo que eu escrevi até agora. Joguem no lixo todas as minhas opiniões. Afinal, são apenas opiniões. Nada que se compare aos fatos:

- Na semana passada, realizou-se em Brasília a reunião inaugural da União das Nações Sul-Americanas (UNASUL). O Presidente Lula propõs a criação, dentro da UNASUL, de um Conselho de Defesa Sul-Americano, para atuar como uma espécie de OTAN da região. Dos 12 países-membros do novo organismo, apenas um, a Colômbia, foi contra. O motivo: os países que compõem a UNASUL se recusam a condenar abertamente as FARC como uma organização terrorista. A Colômbia está em guerra com as FARC. As FARC são apoiadas por alguns governos da região, como o de Hugo Chávez da Venezuela. Chávez é um dos maiores entusiastas da UNASUL. Lula também. No discurso de abertura, o Presidente Lula afirmou que a UNASUL irá "mudar o tabuleiro do poder mundial". Certamente.

- Em 1o de março passado, o Exército colombiano matou, na fronteira com o Equador, o líder terrorista Raúl Reyes, número dois das FARC. Na ocasião, foi apreendido o laptop de Reyes. Abertos os arquivos do computador do chefe guerrilheiro, descobriu-se que os governos da Venezuela (Hugo Chávez) e Rafael Correa (Equador) dão apoio material sistemático às FARC, permitindo que elas utilizem o território desses países para lançar ataques à Colômbia. Chávez forneceu 300 mil dólares aos narcoterroristas colombianos, e o Ministro da Defesa de Correa mantinha contatos regulares com os mesmos. Há alguns dias, a INTERPOL confirmou que os dados do PC de Raúl Reyes divulgados pelo governo da Colômbia (Álvaro Uribe) são autênticos. Na crise entre Equador, Colômbia e Venezuela deflagrada após a morte de Reyes, o governo do Brasil (Luiz Inácio Lula da Silva) recebeu Rafael Correa. Na ocasião, colocou-se inteiramente do lado deste e de Chávez contra a Colômbia.

- Também no laptop de Raúl Reyes, foi descoberto um e-mail, datado de 29 de julho de 2005, do ex-padre Francisco Antonio Cadena Collazos, mais conhecido como Olivério Medina (ou Padre Medina, ou Camilo López, ou El Cura Camilo), endereçado a Reyes. Olivério Medina é o representante das FARC no Brasil. No e-mail, Medina demonstra estar informado do pedido de captura encaminhado pela Procuradoria da Colômbia à Interpol (polícia internacional) contra ele:"Os amigos daqui [do Brasil] me advertiram que deveria ficar atento, pois há uma comissão da Procuradoria que tem uma ordem de captura", escreveu. Ele acrescentou que, segundo os mesmos amigos, não deveria se preocupar, pois "a cúpula do governo com apoio de Celso Amorim estavam a par. Eles não apoiariam uma captura por crimes políticos".

De acordo com o jornal colombiano El Tiempo, o papel de Olivério Medina no Brasil era "trocar cocaína por armas e fazer o recrutamento de simpatizantes".

- Em tempo: o mesmo Olivério Medina, segundo relatório da ABIN, a agência brasileira de inteligência, datado de 2005, foi o intermediário da entrega de 5 milhões de dólares das FARC à campanha, em 2002, do então candidato presidencial Luiz Inácio Lula da Silva, do PT. A denúncia foi feita pela revista Veja, que foi acusada, na epoca, de fazer "mau jornalismo".

- "Em 29 de dezembro de 2006, Angela Maria Slongo foi nomeada pelo ministro da Pesca, Altemir Gregolin, para o cargo de oficial de gabinete II, com um salário de DAS 102.2. Angela Maria Slongo é mulher de Francisco Antonio Cadena Collazos, também conhecido como Olivério Medina, ou Padre Medina, ou Camilo López, ou El Cura Camilo.

[...]

Angela Maria Slongo até hoje continua aparelhada no Ministério da Pesca, recebendo seu salário de apaniguada, que acumula com o salário pago pelo governo do Paraná."

A informação acima está na coluna de Diogo Mainardi, na revista Veja desta semana (http://veja.abril.com.br/idade/exclusivo/040608/mainardi.shtml). Aguarda-se manifestação do Palácio do Planalto a respeito.

- Em outra mensagem eletrônica, Olivério Medina referiu-se a um certo "Acácio", identificado como o Negro Acácio, chefe das FARC morto pelo Exército colombiano em 2007. Em 2001, o traficante brasileiro Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, foi capturado na Colômbia, num acampamento das FARC. Negro Acácio era sócio de Fernandinho Beira-Mar no narcotráfico.

- Na mesma semana da reunião da UNASUL em Brasília, ocorria, em Montevidéu, Uruguai, o 14o. encontro do Foro de São Paulo. Representou o Brasil o assessor especial da Presidência da República para assuntos internacionais, Marco Aurélio Garcia. Na reunião do Foro, o presidente da Nicarágua, Daniel Ortega, assim se referiu à morte recente do número um das FARC, Manual Marulanda, vulgo "Tiro Fijo":

“Eu quero expressar minhas condolências e minha solidariedade para com as Farc e para com a família do comandante Marulanda. Um lutador extraordinário que vem batalhando desde muitos anos.

Um guerrilheiro com a luta, agora interrompida, mais longa da história da América Latina e do Caribe. Uma luta que tem suas origens, suas raízes, nas profundas desigualdades que vive o povo irmão colombiano.

[...] Era um homem humilde, o Marulanda, que falava com humildade. E me sinto honrado de ter-lhe dado, em nome de nosso povo, a ordem “Sandino”. Manuel Marulanda Vélez, um valente, um lutador."

Afirma o noticiário sobre o evento (http://209.85.215.104/search?q=cache:C_9IArujlK4J:www.laspecula.com/index.php%3Foption%3Dcom_content%26task%3Dview%26id%3D1245%26Itemid%3D1+Foro+de+S%C3%A3o+Paulo+Daniel+Ortega+Manuel+Marulanda&hl=pt-BR&ct=clnk&cd=1&gl=br): "A platéia aplaudiu constantemente e com ânimo os elogios feitos pelo nicaragüense ao chefe terrorista, cuja morte foi anunciada no sábado pelo governo colombiano. As declarações do presidente sandinista e a reação dos participantes do evento não deixaram dúvidas de que as Farc, ainda que desta vez não estiveram presentes, seguem tendo amplo apoio dentro do Foro de São Paulo".

- Frase de Marco Aurélio Garcia, assessor especial do presidente Lula para relações internacionais, em entrevista ao jornal francês Le Figaro (4 de março de 2008): "Eu lhes lembro que o Brasil tem uma posição neutra sobre as FARC: nós não as qualificamos nem de grupo terrorista nem de força beligerante."

Estes são os fatos. Não acreditem em mim. Acreditem em Daniel Ortega. Acreditem em Marco Aurélio Garcia.
---
P.S..: Em sua declaração final, a 14a reunião do Foro de São Paulo recomenda "aumentar os esforços para conseguir uma saída negociada para o conflito armado" na Colômbia. Pelo visto, os discursos dos companheiros do Foro (FARC incluídas) e de alguns governos da região estão mesmo bem sintonizados...

Um comentário:

Ana Barbosa disse...

Pois é, aos latino-americanos: Por qué no hablan?
Até quando calaremos...?
[]